85 minutes | Apr 8, 2019

#147: Losers

Só há vencedores se existirem perdedores. Adriano Brandão e Danilo Silvestre recontam a história dos video games do ponto de vista dos consoles derrotados nas batalhas pelo mercado. Alguns deles são até hoje queridos, como o Master System, outros foram quase totalmente esquecidos, como o Intellivision e o CD-i. Qual a importância desses video games para a evolução da mídia? Que fatores os levaram à bancarrota? Por que o mercado de jogos eletrônicos tende naturalmente à concentração? 00:06:58 – Tema 01:04:42 – Bota Ficha Seja um mecenas esclarecido! Contribua com o Pouco Pixel e faça parte de um grupo privilegiado que não somente participa do nosso grupo secreto no Facebook, com muita interação e papos aleatórios exclusivos, como também recebe antecipadamente os episódios do podcast – e também os nossos vídeos! Tudo isso por somente 10 reais por mês, muito mais barato que suco de shopping! Vídeos do Pouco Pixel! Estamos no YouTube! Todas as quintas-feiras tem vídeo inédito em que jogamos e comentamos algum game velho. E de vez em quando soltamos vídeos extras sobre temas relacionados a retrogaming. Vem ver a gente jogar! (Só não se esqueça de assinar o canal, clicar no sininho, dar joinha, aquela coisarada toda.) Os famosos links no post Siga a gente no Fanclic e receba notificações com todas as novidades do Pouco Pixel! Camisetas, canecas e até almofadas do Pouco Pixel você compra na Galeria Pix Vídeos mencionados: jogamos títulos de Atari pensados para fitas cassetes e deixamos branquinho um Dreamcast velho e amarelado “Losers” é uma série de documentários da Netflix sobre esportistas que fracassaram ou sofreram uma grande derrota Ruas temáticas do comércio paulistano: sim, São Paulo tem uma rua para perfumistas, outra para cozinheiros e outra para pescadores A distribuição Android-iPhone no mundo é 75%-25%; no Brasil, é 85%-15%; nos EUA, é 45%-55% “Didi na Mina Encantada” é a versão brasileira de “Pick Axe Pete!“. Os jogos são idênticos; só as capas mudam Um telefone PBAX de multinacional? Não, é o controle do Intellivision mesmo O Atari 5200 tinha um imenso compartimento para seus desajeitados controles O Nintendinho vendeu 61 milhões de unidades, não 91 (obrigado pelo toque, Adriano Santa Fé!) Apple ][, Commodore 64, Atari 2600, Nintendinho e Atari 7800 todos usaram CPUs da família 6502, da MOS Estúdios paralelos eram prática comum no mercado de video games nos anos 90. Os dois exemplos mais famosos: a Acclaim publicava jogos de Mega Drive sob os nomes Flying Edge e Arena; e a Konami ampliava seu limite de jogos anuais de Nintendinho usando nomes como Ultra e Palcom Os cartuchos de Neo Geo eram duplos “Return of the Obra Dinn“, jogo de 2018 de Lucas Pope, usa gráficos monocromáticos, sem nenhum gradiente, apenas com pontilhados para representar sombras e outros detalhes. O jogador pode alterar as cores básicas, em esquemas que simulam computadores antigos, mas os gráficos seguem 1-bit O conturbado desenvolvimento de “Fez” foi tornado famoso pelo documentário “Indie Game: The Movie“ Já existiam engines de criação de jogos desde o início dos 90 (“Doom“) e até antes, se pensarmos em gêneros específicos como RPG ou adventures. A Gold Box da SSI, a SCUMM da LucasArts e a AGI da Sierra são exemplos tão antigos quanto famosos (obrigado, Tiago Rezende, pela dica!) Nosso som As vinhetas do Pouco Pixel foram compostas pelo Rodrigo Faleiros, da Wagging Tail. Conheça o trabalho dele! Já a trilha sonora de fundo é do Visager. Parentada O Pouco Pixel é orgulhoso membro da família B9 de podcasts. Não deixe de conhecer nossos ilustres irmãos!
Play
Like
Play Next
Mark
Played
Share